terça-feira, 29 de março de 2011

EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE CANGUARETAMA

              No dia 16 de abril, comemora-se o aniversário de emancipação política de Canguaretama.  Cidade localizada no estado do Rio Grande do Norte a cerca de 80 km da capital, com uma área de 245,529Km² e uma população de 30.693 habitantes (segundo censo do IBGE realizado em 2010). O nome Canguaretama significa “Vale das matas”, uma alusão a exuberância de suas riquezas naturais, onde há muitas árvores e muito verde.
            Conta-nos a história que a aldeia de Gramació, primeiro núcleo colonizador, foi fundada em 1743 por um jesuíta, o padre André do Sacramento, sendo elevada a categoria de vila, com o nome de Vila Flor, em obediência à Carta Régia de 03 de maio de 1755, que transformava em vilas os antigos aldeamentos indígenas. Com a expulsão dos jesuítas, a sede foi transferida para o povoado de Uruá, denominado de Vila de Canguaretama em 19 de julho de 1858, através da Lei n° 567, criando então, o município de Canguaretama. O nome Canguaretama significa vale das matas, onde há muitas árvores.
            A Lei Provincial n° 955, de 16 de abril de 1885, elevou a sede do município à categoria de cidade, instalada em 18 de setembro do mesmo ano.
            A circunscrição religiosa da povoação tinha o nome de Penha, dado pelo missionário capuchinho frei Serafim de Catania e conservada pela Lei Provincial n° 468, de 27 de 1860, para a freguesia.
            A vila tinha como base econômica de sobrevivência o comércio do pau-brasil, o plantio da cana-de-açúcar e a pesca. No dia 31 de outubro de 1882, foi instalada a estação ferroviária.

(Autor do texto desconhecido pelo blogueiro).
           

Um comentário:

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;