domingo, 3 de abril de 2011

Vale das Matas S.O.S.

"No meio de tanta água
O Vale das Matas em festa
Começa a pegar fogo
Habitantes desta floresta
Pedem socorro urgente
Sem saber mais o que resta".

"Bombeiros se apresentam
Sem nehuma formação.
Chegam todos de mansinho
Fazendo grande confusão.
Procurando seus ninhos
Querendo uma coligação".

"No período da queimada
Todo mundo é educado.
Quando desce do palanque
A coisa muda de lado.
E ele assume o poder
Vira logo um tornado".

"Compra logo um carrão
Agradece e diz: Tenho sorte
Como se Deus o escolhesse
Livra-se até a morte
Esquecendo do irmão
Que não tem água no pote"


"Hoje quem tá no poder
Não vai querer deixar
Moram fora da cidade
Um dia vai querer voltar
Porque tem algumas amizades
aqui podem se instalar".

"A situação é triste
Eu critico também
A miséria é o resultado
Do governo que se tem
Se o povo não acordar
Dependerá sempre de alguém".

"Vale das Matas espera
Uma reconciliação
Que os próximos governantes
Cheguem sem ambição
Fazendo o que tem que fazer
Para essa querida população".

Versos extraídos do livro de cordel do Prof. Tamires Macêna: Vale das Matas SOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;