quarta-feira, 18 de maio de 2011

Moradores do Bairro da Estação temem que o pior aconteça!!!

Rua Aline Gomes - Bairro da Estação - Canguaretama/RN - Imagem do dia 17/05/2011
Rua Aline Gomes - Bairro da Estação - Canguaretama/RN - Imagem do dia 17/05/2011
         " Apesar da existência de diretrizes específicas na legislação nacional, o saneamento básico ainda não é uma realidade para todos os moradores do município de Canguaretama. Para resolver danos imediatos, a Promotoria de Justiça na cidade assinou cinco Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), com 19 moradores do bairro de Sertãozinho. Os moradores notificados assinaram o TAC para se adequar ao Código Municipal do Meio Ambiente que determina que nos locais em que não for fornecido o saneamento público, cada morador deve ser responsável por seus próprios efluentes domésticos ".
      Além disso, o município de Canguaretama se comprometeu a promover o esgotamento das fossas sépticas e sumidouros individuais que por ocasião da TAC foram construídos.
         A equipe do Canguaretama em Chamas foi procurada por um grupo de moradores que residem na rua Aline Gomes (Bairro da Estação), que nos relataram que já concluíram  as determinações estabelecidas pela TAC. No mesmo momento, fomos surpreendidos por um verdadeiro leque de reclamações, onde os moradores daquela localidade, desabafaram sentir o abandono do bairro pela Administração pública. Lá nossa equipe constatou muito mato próximo às calçadas, esgotos a céu aberto, lamaçal e o mais grave: o acesso à rede de esgotos se encontrava sem a tampa, ou seja, o perigo de ocorrer um acidente, inclusive com idosos ou crianças é iminente, conforme pode ser constatado pelas imagens a seguir:
Rua Aline Gomes - Bairro da Estação - Canguaretama/RN - Imagem do dia 17/05/2011


Rua Aline Gomes - Bairro da Estação - Canguaretama/RN - Imagem do dia 17/05/2011

5 comentários:

  1. EDINALDO
    O brasieiro realmente tem memoria curta, esquece que o municipio de Canguaretama ja foi contemplado com o saneaento básico através do PAC no valor de R$: 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil), apenas os distritos de Barra do Cunháu e Piquirí não estavam no projeto, dessa forma cabe ao poder público municipal cobrar da CAERN orgão responsável pela execução da obra (inacabada)a resolver esses problemas e não colocar a culpa nos moradores, o dinheiro veio, se foi aplicado ou não cabe ao Ministério Publico investigar e ao atual governo cobrar. Isso sim é cidadania.

    ResponderExcluir
  2. Edinaldo
    A Equipe do Canguaretama em Chamas.
    Não vejo motivo de preocupação nesse comentário, esseas informações podem ser comprovadas por qualquer cidadão, pois o Saneamento Basico de Canguaretama no valor de R$: 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil), foi amplamente discutido e aprovado no Conselho Municipal de Saúde de Cnguaretama e registrado na Ata da Trigésima quinta reunião extraordinária do dia 31/01/2008, todo cidadão pode ter acesso a essas informações é só solicitar ao presidente do Conselho uma cópia da referida ATA. Caso não tivesse certeza do que estou escrevendo ficaria ANÔNIMO. OBRIGADO

    ResponderExcluir
  3. A cada chuva um pouco mais forte, Canguaretama fica alagada e isso não é de hoje, e pensar que tudo poderia esta resolvido se as obras do saneamento que custou R$: 4.800.000,00 (quatro milhóes e oitocentos mil) tivessem sido concluidas, mais nem os prefeitos anteriores nem o atual se importaram com essa grande obra que iria contemplar a população da nossa cidade, afinal o que esta embaixo da terra não se vê, tão pouco da votos e como sempre a população é que sofre, pois tanto faz. Quem esta no poder não mora aqui mesmo.

    ResponderExcluir
  4. AUSÊNCIA DE REDE GERAL DE ESGOTO É O MAIOR PROBLEMA NO SANEAMENTO BÁSICO DE CANGUARETAMA
    A forma de esgotamento sanitário utilizada pelos habitantes do município aparece nos dados do IBGE como a que apresenta maior deficiência no contexto do sistema de saneamento de Canguaretama. O esgotamento sanitário predominante em Canguaretama é a fossa rudimentar (buraco no chão onde despejam fezes, urina e outros residuos), que aumentou nos últimos anos, 1980 (23,21%), 1991 (30,11%) e 2000 (61,45%). Segundo os padrões ambientais e sanitários, as fossas rudimentares são as menos indicadas para o esgotamento sanitário, uma vez que desta maneira o esgoto é jogado diretamente no solo, aumentando as possibilidades de contaminação deste e do aqüífero subterrâneo. O tipo de instalação sanitária mais adequada (a Rede Geral), aparece somente no ano 2000, com um percentual muito baixo (0,40%, que corresponde a 23 domicílios particulares).
    Resumindo, Canguaretama, na prática, não possui Rede Geral, porque é irrisório o valor de 0,40%. O esgoto jogado diretamente no subsolo contamina a água, que possui (de acordo com o que diz a própria conta da CAERN, de agosto de 2011, paga na Casa Lotérica em 23 de agosto de 2011) uma taxa de 79% de coliformes fecais! Pelo que diz esta CONTA DE CONSUMO DE ÁGUA/ESGOTO E SERVIÇOS estaríamos bebendo suco de bosta. Empresa CAERN, que administra o fundo de supostos quatro milhões e oitocentos mil advindos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não concluíram o saneamento básico do município até hoje e estão pedindo aproximadamente cinquenta milhões para concluir a obra num prazo de trinta anos. O Vereador Múcio não acreditou que iria ver, ainda em vida, a conclusão da obra. Trinta anos é muito tempo mesmo. Num caso como este, ser professor de história me compele a falar da história para mostrar ao ilustre vereador que o Brasil já cresceu cinquenta anos em cinco e nada impede que ele cresca trinta anos em três. O não cumprimento dos prazos enseja representação para instaurar procedimento na Câmara de Vereadores, no Juizo Eleitoral e no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte envolvendo a COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RIO GRANDE DO NORTE, Avenida Senador Salgado Filho, 1555, Tirol, CEP 59015-000, CNPJ: 08.334.385/0001-35 e Insc. Estadual: 20055.426-3 e o MUNICÍPIO DE CANGUARETAMA, que tem CNPJ nº 08.365.017/0001-54, sediado na Praça Augusto Severo, nº 242, Centro, Canguaretama/RN, CEP 59190-000, e o consumidor de serviço essencial que ora é comentarista. Placa gigante instalada ao lado da Rodoviária anunciava obra. O consumidor cativo da CAERN agora é cativo do prefeitura única. Pergunta ao Procurador do Município, Prefeito e perítos: Quem bebe água com coliformes fecais pode sofrer infecções estomacais e intestinais, diarréias ou outras doenças parasitárias? Lamentável que a atual administração só venha debater o tema faltando menos de um ano para terminar o mandato e um ano antes das eleições e na situação em que utiliza “inauguração” de “obra” para obter dividendos que promove a Pessoa Física “Wellinson”.

    ResponderExcluir
  5. AUSÊNCIA DE REDE GERAL DE ESGOTO É O MAIOR PROBLEMA NO SANEAMENTO BÁSICO DE CANGUARETAMA
    A forma de esgotamento sanitário utilizada pelos habitantes do município aparece nos dados do IBGE como a que apresenta maior deficiência no contexto do sistema de saneamento de Canguaretama. O esgotamento sanitário predominante em Canguaretama é a fossa rudimentar (buraco no chão onde despejam fezes, urina e outros residuos), que aumentou nos últimos anos, 1980 (23,21%), 1991 (30,11%) e 2000 (61,45%). Segundo os padrões ambientais e sanitários, as fossas rudimentares são as menos indicadas para o esgotamento sanitário, uma vez que desta maneira o esgoto é jogado diretamente no solo, aumentando as possibilidades de contaminação deste e do aqüífero subterrâneo. O tipo de instalação sanitária mais adequada (a Rede Geral), aparece somente no ano 2000, com um percentual muito baixo (0,40%, que corresponde a 23 domicílios particulares).
    Resumindo, Canguaretama, na prática, não possui Rede Geral, porque é irrisório o valor de 0,40%. O esgoto jogado diretamente no subsolo contamina a água, que possui (de acordo com o que diz a própria conta da CAERN, de agosto de 2011, paga na Casa Lotérica em 23 de agosto de 2011) uma taxa de 79% de coliformes fecais! Pelo que diz esta CONTA DE CONSUMO DE ÁGUA/ESGOTO E SERVIÇOS estaríamos bebendo suco de bosta. Empresa CAERN, que administra o fundo de supostos quatro milhões e oitocentos mil advindos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não concluíram o saneamento básico do município até hoje e estão pedindo aproximadamente cinquenta milhões para concluir a obra num prazo de trinta anos. O Vereador Múcio não acreditou que iria ver, ainda em vida, a conclusão da obra. Trinta anos é muito tempo mesmo. Num caso como este, ser professor de história me compele a falar da história para mostrar ao ilustre vereador que o Brasil já cresceu cinquenta anos em cinco e nada impede que ele cresca trinta anos em três. O não cumprimento dos prazos enseja representação para instaurar procedimento na Câmara de Vereadores, no Juizo Eleitoral e no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte envolvendo a COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RIO GRANDE DO NORTE, Avenida Senador Salgado Filho, 1555, Tirol, CEP 59015-000, CNPJ: 08.334.385/0001-35 e Insc. Estadual: 20055.426-3 e o MUNICÍPIO DE CANGUARETAMA, que tem CNPJ nº 08.365.017/0001-54, sediado na Praça Augusto Severo, nº 242, Centro, Canguaretama/RN, CEP 59190-000, e o consumidor de serviço essencial que ora é comentarista. Placa gigante instalada ao lado da Rodoviária anunciava obra. O consumidor cativo da CAERN agora é cativo do prefeitura única. Pergunta ao Procurador do Município, Prefeito e perítos: Quem bebe água com coliformes fecais pode sofrer infecções estomacais e intestinais, diarréias ou outras doenças parasitárias? Lamentável que a atual administração só venha debater o tema faltando menos de um ano para terminar o mandato e um ano antes das eleições e na situação em que utiliza “inauguração” de “obra” para obter dividendos que promove a Pessoa Física “Wellinson”.

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;