sexta-feira, 22 de julho de 2011

O LANCHINHO DO DOUTOR...

O Prof. Erivan Ferreira é usuário do sistema SUS de saúde pública.
            Assim como os demais companheiros e companheiras, necessitei de atendimento médico na cidade de Canguaretama. Fui até o nosso hospital, ao chegar lá fui rapidamente atendido no balcão onde são  preenchidas "as fichas", em seguida foi bem acolhido por uma enfermeira, que não demorou em averiguar minha pressão. Porém a partir de então, penei a espera do Doutor indicado para minha enfermidade (segundo informações sua especialidade: ortopedia).
           Após 35 minutos de espera, tentei descobrir qual o motivo pra tamanha demora em atender os pacientes, logo um funcionário me informou que o DOUTOR estava fazendo um LANCHINHO (durou ao todo cerca de 40 minutos???). Além disso, outro fato curioso foi quando perguntei qual o nome do médico plantonista ao funcionário(a) que naquele momento estava recebendo os pacientes, ele(a) não soube me responder, pois segundo sua resposta, o doutor era novato em NOSSO HOSTIPAL.


              Algo que também me chamou muito a atenção, foi a forma como o DOUTOR me examinou: fez apenas uma pergunta, nem tocou em minha perna (que apresentava inchaço, vermelhidão e dor) e simplesmente receitou uma delicada injeção "BENZETACIL".
                Assim como todos os cidadãos pagadores de impostos ou não, eu esperava maior qualidade no atendimento do DOUTOR!!!. Já a respeito dos demais funcionários, eles me atenderam muito bem naquela noite.

Um comentário:

  1. Infelismente não concordo com vc, o médico não é forçado a trabalhar e quando fez o juramento prometeu no mínimo salvar vidas e não se revoltar com a populaçãoporém isto não ocorre a muito tempo.Imagine se todo profissional mal pago em canguaretama se revoltar o que vai acontecer.

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;