domingo, 3 de julho de 2011

Todo filho de político deveria estudar em escola pública?

 
     Maior defensor de uma educação de qualidade depois do saudoso multitalentoso Darcy Ribeiro, que lutava pela democratização do ensino público, o senador Cristóvam Buarque é o atual baluarte da educação pública de qualidade.
     Sem conseguir enxergar luz no fim do túnel pelo descaso seguido de gestores sem compromisso com a área, CB viu uma única chance para resgatar o ensino público: obrigar todos os filhos de políticos a estudar em escola pública.
     Assim criou um projeto de lei para tal (PL 480/2007), mas que há quase quatro anos está em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.
    O projeto estabelece que todo político eleito no Brasil – nos âmbitos federal, estadual ou municipal matricule – terá, obrigatoriamente, matricular seus filhos na rede de ensino público, com a certeza de que iriam investir mais não apenas na educação, mas na qualidade de outros serviços públicos.
    Bom que a decisão abrangesse também a área da saúde pública. Que todo político e seus familiares fossem obrigados a se tratar em unidades de saúde e hospitais públicos.
Diante da intenção do senador pedetista, a nova enquete do CANGUARETAMA EM CHAMAS sonda a opinião sobre o projeto.
Adaptado do Blog da Abelhinha

4 comentários:

  1. Marcelo...
    A ideia é boa, mais como no Brasil tem um jeitinho pra tudo, com certeza eles seriam matriculados mais estudar..... ai são outros 500, e é claro que nenhum diretor nomeado pelos politicos iriam colocar falta nos menininhos de papai. (Ta vendo ja arrumei uma forma de fraudar o projeto...kkkkkkkkk). O Brasil tem jeito não meu povo.

    ResponderExcluir
  2. Esse projeto é perfeito, pois só assim não haveria mais como os nossos queridos representantes fazer vistas grossas para a educação brasileira.
    Quanto as faltas no outro comentário, isso é irrelevante, pois o que valerá não é a frequencia e sim o aprendizado para consequentemente ser aprovado no vestibular.acredito que o projeto não há como ser fraudado, a menos que o aluno estude em duas escolas, uma pública e outra particular, mas isso no cruzamento das informações e com o próprio povo de "olho" seria um risco grande para o parlamentar ficar com a "ficha suja" moralmente falando.
    Só mesmo o grander e sábio Cristovão Buarque para uma idéia dessas.

    O GRANDE PROBLEMA É ESSE PROJETO SAIR DA CCJ DO SENADO.

    ResponderExcluir
  3. Filhos de rico estudam em escolas particulares e os pobress ficam nesta pouca vergonha,filhinho de papai fica doente clínicas particulares e a população enfrenta horas e horas de fila sem aber se o médico vai lhe atender,e por muitas vezes nem olha p vc e receita logo a famosa injeçãO.

    ResponderExcluir
  4. Tá certo que a corrupção já virou a cultura dos políticos,mas esse projeto deveria sim ser aprovado, pois se não iria acabar com uma parcela da corrupção pelo menos iria dificultar um pouco a vida desses políticos que só querem usufruir das benéfices do que seria para o povo.

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;