segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Os ventos que movem o Rio Grande do Norte


Pela intensidade e constância dos ventos que ocorrem no litoral potiguar, o Rio Grande do Norte é considerado como o que reúne as melhores condições para produção de energia eólica. Atualmente, o estado tem três parques eólicos em operação (Parque da Petrobras em Macau, Rio do Fogo e Alegria I em Guamaré), que, juntos, possuem capacidade instalada para produzir 140 Megawatts (MW). Esse número, porém, vai aumentar substancialmente com a entrada em operação, nos próximos anos, dos projetos contratados nos leilões federais de 2009, 2010 e 2011. 

Os investimentos previstos para os próximos anos, com a instalação de novos parques, ultrapassam os R$ 6 bilhões. Esses dados, por si só, demonstram nosso potencial de geração desse tipo de energia renovável. Pensando nisso, um grupo de pesquisadores universitários, gestores públicos e empresários, sob coordenação da Fapern (Fundação de Apoio e Pesquisa do RN), planeja criar o Instituto Internacional de Tecnologia em Energia Eólica (IITEE).
O objetivo é formar uma rede de pesquisadores para desenvolver tecnologia e transformar o Rio Grande do Norte numa referência nacional e internacional em recursos humanos. Assim, o estado terá mão de obra capacitada para fazer frente à demanda técnica e científica que será criada com a expansão do números de parques eólicos.
  
Fonte: Nominuto.com (adaptado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;