sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Pronunciamento Oficial da Igreja Metodista do Brasil sobre Corrupção

Por uma gestão pública e ação parlamentar proba, democrática e transparente em todos os níveis

Pronunciamento do Colégio Episcopal à Igreja Metodista
 
“...quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Ef. 4.22-24)

Vivemos momentos de uma crescente mobilização da sociedade civil de nosso País no sentido de por um fim às ações de corrupção promovidas por agentes públicos no exercício de suas funções, nas diferentes esferas de ação.
O governo, nas esferas executiva, legislativa e judiciária, o Ministério Público, a Polícia Federal e alguns outros segmentos têm se empenhado em processar e afastar de funções públicas pessoas acusadas de práticas delituosas. Ao mesmo tempo, os órgãos de informações jornalísticas têm se ocupado em denunciar ações envolvendo pessoas que desempenham funções públicas e de Estado envolvidas em negociações ilícitas, revelando uma natureza de corrupção quase endêmica em nossa estrutura de poder representativo, seja em nível municipal, estadual ou nacional.
Percebe-se, das denúncias apresentadas à opinião pública, que o crime de corrupção nas esferas de poder está freqüentemente acompanhado de outro crime: o tráfico de influência.
Este binômio tem causado sérios e permanentes prejuízos à população brasileira, especialmente aos setores mais empobrecidos, pelo desvio de recursos que poderiam ser aplicados a melhorias na saúde pública, educação, saneamento básico, a previdência, etc.
O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, comprometido com os valores do Evangelho e com sua própria história de defesa da moralidade administrativa e da ética cidadã, une-se aos brasileiros e brasileiras empenhados/as em extirpar o pecado social da corrupção nas estruturas de poder, firmando posição:

•    Pela transparência da gestão pública, disponibilizando aos cidadãos e cidadãs as informações relativas aos atos do executivo;

•    Pela efetiva implementação da Lei Complementar nº 135/2010 – Lei da Ficha Limpa, como condição necessárias à moralização e ao aperfeiçoamento democrático no processo eleitoral;

•    Pelo fim do sigilo em votações relacionadas a denúncia de improbidade administrativa e falta de decoro, nas casas legislativas em todos os níveis de atuação;

•    Pelo estabelecimento da Comissão da Verdade afim de que nossa história recente seja conhecida e se façam as reparações justas e necessárias para o estabelecimento de uma nova ordem social.

Cremos que o Evangelho de Cristo é o poder transformador de Deus e caminho que revela a verdade e denuncia ações contrárias a moral e a ética cristã.
Conclamamos os/as metodistas a fazerem parte deste movimento de construção da dignidade do exercício político e da construção de uma sociedade democrática, justa e solidária.

Em Cristo,

Bispo João Carlos Lopes
Presidente do Colégio Episcopal

Bispo Adonias Pereira do Lago
Secretário do Colégio Episcopal 

São Paulo, 28 de setembro de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;