terça-feira, 11 de outubro de 2011

Corregedoria de Justiça investiga cartórios do RN

Des. Cláudio Santos, Corregedor Geral da Justiça no RN
A Corregedoria Geral de Justiça está ampliando a fiscalização nos cartórios no RN para coibir a cobrança irregular de taxas e emolumentos e verificar o repasse dos valores referentes ao Fundo de Desenvolvimento da Justiça e ao Fundo de Reaparelhamento do Ministério Público. O desembargador Cláudio Santos, corregedor geral de Justiça, faz um apelo à população para que denuncie diretamente à Corregedoria ou ao juiz titular da comarca quando se sentir prejudicada com alguma cobrança acima dos valores expressos na tabela de emolumentos que está disponível na internet no endereço http://corregedoria.tjrn.jus.br/files/Lei%20de%20custas%209278-09(1).pdf. As denúncias diretamente à Corregedoria podem ser feitas na sede do órgão que fica na rua Sérgio Severo, 2037, em Lagoa Nova, o telefone para contato é o 3215-4531. O fax é o 3231-8622 e o e-mail: corregedoria@tjrn.jus.br. 
Este ano, estão sendo feitas 20 fiscalizações em 12 cidades, já que algumas dessas comarcas têm mais de um ofício. Todas as que já receberam a fiscalização tiveram que recolher recursos ao FDJ e em algumas delas foram encontradas irregularidades na cobrança. Além da cobrança dos valores devidos, acrescido de multa e juros, conforme previsto na lei, o Corregedor explica que outras medidas estão sendo adotadas.
Para o próximo ano, deverá ser feita a fiscalização em 22 cidades do Estado. Também está sendo elaborado um convênio a ser assinado com o Ministério Público a fim de que ele possa acompanhar, com base nas informações fornecidas pelo Judiciário, o recolhimento dos recursos destinados ao Fundo de Reaparelhamento do Ministério Público. O corregedor explica que não é mais admitido o parcelamento de dívidas quando é apurado qualquer desvio de conduta e mesmo que o cartório recolha o valor integralmente, o processo está sendo encaminhado ao Ministério Público para eventual denúncia por crime. 

Leia na íntegra AQUI!

Fonte: Tribuna do Norte (Adaptado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;