terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Prefeito contrata a sogra e estaria usando um 'laranja' para pagamentos



O promotor de Justiça de Angicos, Márcio Cardoso Santos, ajuizou uma Ação Civil Pública contra o prefeito Ronaldo de Oliveira Teixeira por improbidade administrativa.
Segundo as investigações, o prefeito teria forjado a demissão de sua sogra do cargo comissionado de pedagoga do CREAS-Angicos, após recomendação do Ministério Público que visava combater o nepotismo.
 Para despistar a recomendação do MP, o prefeito chegou a exonerar sua sogra e contratar outra pessoa para cargo. No entanto, ela continuou a exercer as funções no Creas sob a alegação de que se tratava de trabalho voluntário e não remunerado. Mas uma simples consulta aos extratos comprovou a fraude. "O ardil é tão flagrante que a remuneração pelos serviços supostamente prestados pela nova servidora contratada era depositada em conta corrente de titularidade da sogra do prefeito", explica o promotor de Justiça na Ação.
Entre os pedidos do Ministério Público estão a condenação do prefeito a perda da função pública, a suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos; pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.
Que isto sirva de exemplo para tantas outras prefeituras do RN.

Fonte: muralderiachuelodacruz.blogspot

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;