domingo, 18 de março de 2012

Adoção do Enem pela UFRN preocupa estudantes


A possibilidade de mudanças nas regras do vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), destinando 50% das vagas oferecidas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), está preocupando a muitos estudantes que estão se preparando para as provas do exame deste ano. A mudança é uma proposta da Comissão Permanente do Vestibular (Comperve), mas ainda depende de aprovação na reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFRN, prevista para o final de abril e início de maio.
Segundo Magda Pinheiro, presidente da Comperve, a proposta foi apresentada desde o resultado do vestibular 2012 e durante o Programa Grandes Temas da TV Universitária, transmitido há poucos dias. De acordo com Magda, a UFRN está aderindo ao Enem gradativamente até chegar à totalidade como já acontece em 22 universidades federais do país "A princípio, a UFRN destinou seis cursos para o Enem, ano passado o número aumentou para 13 cursos e este ano existe uma grande possibilidade de aumentar a democratização do acesso à universidade federal, mas isso depende do Consepe", avisa a presidente.

Fonte: VNT Online/Diário de Natal

Um comentário:

  1. O governo deveria era se preocupar em melhorar o ensino público invés de ficar inventando cota, que só faz com que o nível da instituições federais piore, passei recentemente na IFRN no curso de edificações e a pior nota do aluno que passou no ensino privado (632) é bem superior a do melhor do público (618), o que me preocupa é que vai ter alunos com notas baixas na mesma classe dos alunos com notas boas e com certeza o nível de ensino vai cair, e isso não foi só no curso de edificações isso aconteceu em praticamente todos os cursos.

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;