quarta-feira, 21 de março de 2012

ATENÇÃO: Falsos religiosos estão dando golpe em aposentados


O arcebispo metropolitano de Natal, dom Jaime Vieira Rocha, vai convocar os membros da Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli, constituída por membros dos Arautos do Evangelho, para investigar um novo golpe praticados por estelionatários na cidade. A intenção é esclarecer denúncias de que falsários estão utilizando o nome da sociedade católica para aplicar “contos do vigário” em aposentados. As denúncias que ainda não chegaram à Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações dão conta que homens vestidos com roupas da Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli se passam por membros dessa associação religiosa.
O arcebispo vai convocar o coordenador da Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli em Natal para juntos tentarem investigar as denúncias. Porém, a Sociedade já entrou em contato com a Arquidiocese e afastou qualquer possibilidade de envolvimento de seus membros no caso. Os Arautos estão há pouco tempo em Natal e, a exemplo da Arquidiocese e da polícia, só ficaram sabendo do caso por meio da imprensa.

Para ludibriar os fiéis e aplicar o golpe do vigário, os falsos religiosos utilizam as vestimentas da sociedade, visitam casas de católicos, geralmente idosos aposentados, entram nas casas para pregar em nome de Deus, rezam e oram. Depois de estarem convencidos de que os fiéis acreditam na palavra, eles pedem uma contribuição financeira com débito em conta para a Sociedade Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli. Os fiéis, então, assinam a autorização para as doações “simbólicas”. Calcula-se que teriam sido depositados até R$ 350,00 mensais para a conta dos supostos homens de Deus.

Fonte: Blog do Robson Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;