quinta-feira, 8 de março de 2012

CNTE divulga carta aberta à sociedade


Republico matéria do site da CNTE, 01/03/2012

Entre os dias 14 e 16 de março de 2012, as escolas públicas de nível básico, em todo Brasil, paralisarão suas atividades para protestar contra o descaso de grande parte dos gestores públicos em não garantir educação de qualidade socialmente referenciada para todos e todas.
A pauta da CNTE para a Greve Nacional dos Trabalhadores/as em Educação consiste em:

(i) Ampliar o investimento em educação para 10% do Produto Interno Bruto (PIB), ao longo da próxima década, e exigir a aprovação do novo Plano Nacional de Educação;
(ii) Garantir o cumprimento imediato e integral da lei federal nº 11.738, que vincula o piso salarial profissional nacional à carreira do magistério;
(iii) Implementar a gestão democrática em todas as escolas e os sistemas de ensino, conforme preceitua as normas educacionais e o Estatuto da Criança e do Adolescente;
(iv) Impedir a terceirização das funções escolares, sobretudo daquelas desempenhadas pelos funcionários da educação; e
(v) Assegurar outras pautas locais da educação e de seus trabalhadores.

Diante de temas tão importantes para o futuro de nosso país, convidamos a todos e todas para se juntarem à nossa luta, que é por um Brasil mais justo, próspero, soberano e sem desigualdades que impeçam o direito das pessoas à felicidade e, consequentemente, ao bem estar coletivo.
Quanto às atividades da Greve Nacional, as mesmas serão descentralizadas e estarão sob a responsabilidade das 44 entidades filiadas à CNTE (ver lista anexa). Outros sindicatos da educação, mesmo não filiados à Confederação, também poderão incorporar-se à mobilização e agendar atividades junto aos executivos e parlamentos locais, além daquelas voltadas à comunidade escolar e à população em geral.
Em âmbito nacional, a Greve marcará o início de uma ampla jornada de luta dos trabalhadores por educação pública, gratuita, universal, laica, de qualidade (com equidade), e por valorização profissional, devendo um de seus desdobramentos culminar na denúncia de governadores e prefeitos – desrespeitadores da Lei do Piso – à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a outras instituições internacionais, além dos órgãos do Poder Judiciário nacionais.

Certos de contar com a compreensão e o apoio de todos/as, subscrevemos.
Diretoria Executiva da CNTE

Veja o documento em PDF (http://cnte.org.br/images/stories/noticias/carta_sociedade.pdf), com a relação de filiados à CNTE.

Um comentário:

  1. Num momento especial de renovação e evolução da política e da educação nacional, os membros da Regional pedem respeito com categoria e exigem que se cumpra o estatuto da entidade que legitima a nova diretoria eleita democraticamente em 30 de novembro de 2011.
    Os profissionais da Educação não podem ser penalizados pela falta de sensibilidade e diálogo. A separação que se instalou dentro do movimento sindical da educação potiguar se configura como um ato vergonhoso diante dos avanços democráticos que o país passa.
    Várias reuniões já foram feitas para traçar as estratégias de atuação, mas até agora não foram repassados os recursos financeiros devidos pela estadual para que esta regional possa prosseguir em seu funcionamento normal.
    Os Coordenadores da Regional lamentam por essa atitude imprópria para o momento e pedem a união e apoio da categoria para evitar uma manobra incoerente com a vontade dos filiados.
    A Regional de Canguaretama continua trabalhando, mesmo sem os recursos que são descontados dos salários dos trabalhadores. Para tanto já alugou uma sede, colocou uma página na internet, debateu com vários secretários e prefeitos da região e luta pela aprovação da gestão democrática na educação do município de Baía Formosa.
    Nunca o movimento sindical da região foi tão fortalecido como na atualidade, crescendo com respeito e confiança diante das inúmeras adversidades que se agigantam. A proposta de inovação continua com metas de lutas para dar dignidade aos trabalhadores em Educação.

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;