sexta-feira, 30 de março de 2012

Falsa grávida é presa com 2,1 quilos de cocaína no aeroporto Augusto Severo



A Polícia Federal prendeu na madrugada desta sexta-feira(30) no aeroporto internacional Augusto Severo, em Parnamirim, uma dona de casa, 20 anos e um operador de máquinas, 24 anos, ambos natalenses, acusados de tráfico de drogas. Com a dupla, a PF encontrou 2,1 kg de cocaína que era trazida pela mulher de Campo Grande/MS, camuflada como “barriga postiça”.
A prisão em flagrante aconteceu por volta das 02h30 quando os policiais, em trabalho de rotina fiscalizavam passageiros oriundos de regiões com maior incidência de tráfico de entorpecentes e perceberam a atitude suspeita de uma mulher que chegou sozinha, apenas com bagagem de mão e passou a fazer contatos através de um celular. Minutos depois ela foi seguida quando se deslocava até o estacionamento, onde um homem já a esperava em um táxi.
Durante a abordagem ficaram nervosos e como a mulher apresentava um volume excessivo na região abdominal, como se estivesse grávida, logo confessou que conduzia droga. De imediato, o casal recebeu voz de prisão e seguiu conduzido para a sede da Superintendência da PF, onde foi enquadrado na Lei de Entorpecentes.
Durante a autuação, a mulher declarou que recebeu uma proposta de R$ 3 mil reais para ir buscar a droga no Mato Grosso do Sul, mas se recusou a identificar ou fornecer qualquer detalhe sobre os seus contratantes. Já o operador de máquinas, declarou que “não sabia de nada” e que apenas foi dar uma carona a uma conhecida da família.
Os suspeitos, após serem submetidos a exame de corpo de delito no ITEP, permanecem sob custódia da PF e devem ser transferidos no dia de hoje para o sistema prisional do Estado, onde permanecerão à disposição da Justiça.
Esta foi a terceira apreensão de cocaína feita este ano pela PF no aeroporto Augusto Severo. Todos os envolvidos até agora eram brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;