domingo, 25 de março de 2012

Gol nos acréscimos garante vitória do América e quebra de tabu

Pingo marcou o gol que quebrou o tabu de dois anos sem vitória do América contra o ABC /Júnior Santos
Foi suado, mas o América conseguiu quebrar o tabu contra o ABC e venceu o alvinegro pela primeira vez desde 2010, quando o técnico Leandro Campos chegou a Natal. O gol salvador da partida deste domingo (25) só veio no minuto final da partida, com o atacante Pingo.
Líder da competição, o ABC entrou em campo defendendo um tabu de que se estendeu desde o campeonato estadual de 2010. Já com a vaga garantida na final, o alvinegro jogou a pressão pelo resultado para o lado do América, que precisava da vitória para seguir com boas chances de classificação no segundo turno. E os comandados de Roberto Fernandes fizeram por onde vencer.
O América procurou as ações ofensivas durante todo o jogo. Enquanto o América atuava com dois atacantes e dois meis de criação, o ABC optou por atuar mais uma vez com os três zagueiros e dois volantes. O contestado Carlinhos Santos, inclusive, voltou a ser titular no ABC. Sem velocidade na frente, o ABC sequer conseguia puxar os contra-ataques, enquanto América, mesmo que desordenadamente, mantinha o foco. O primeiro tempo, porém, foi de poucas chances para ambos os times.
Na segunda etapa, o América teve dois momentos de "blitz" sobre o ABC. Nos primeiros 10 minutos, o alvirrubro fez enorme pressão, principalmente com a dupla Wanderley e Lúcio. Porém, nos 10 minutos finais, já com Isac e Pingo em campo, o América foi o dono do jogo e conseguiu a vitória, com gol salvador de Pingo aos 49 minutos.
A vitória deixa o América na vice-liderança da competição, empatado com o ABC, com 10 pontos. Na quarta-feira, o ABC volta a campo contra o Potiguar, em Mossoró, enquanto o América faz mais um jogo em casa, contra o Alecrim, no estádio Nazarenão, em Goianinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;