segunda-feira, 30 de abril de 2012

ARROMBAMENTO NA CÂMARA MUNICIPAL DE PARNAMIRIM.



Investidas criminosas chegaram à Câmara Municipal de Parnamrim.
Na calada a noite, o gabinete da vereadora Walkiria Fonseca foi arrombado.
Resultado: gavetas quebradas, documentos e demais objetos espalhados.
Curioso, nada foi levado. Nem computadores, nem telefones, ventilador. Alguns documentos importantes não foram sequer violados. Pastas não foram abertas.
Ela, então, questiona: – “Se não queriam nada de valor e nem documentos, o que queriam no meu gabinete?”.
Muito mais curioso, dos responsáveis, ouviu na hora do arrombamento estava faltando energia na Câmara .
A vereadora, então, foi conferir o armazenamento de imagens junto com dois funcionários. Às 22h7, as câmeras foram desligadas, segundo informaram, por falta de energia, assim, todas as imagens.
Enviou um assessor à escola Antônio Basílio, vizinha à câmera, que tem a mesma rede de energia. Lá havia energia e a diretora mostrou que as câmeras funcionaram normalmente das 6h da quinta-feira às 6h da sexta-feira (27).
Após fazer BO na delegacia, para sua surpresa, os mesmos funcionários que disseram a ela e à polícia que havia faltado energia, estavam mostrando ao seu filho e marido as imagens.
Então, faltou ou não energia?
Walkíria espera o laudo do ITEP para dirimir dúvidas, de como se entra em uma janela com trava por dentro, sem vestígios de arrombamento, e sem quebrar janelas de vidro.
Por enquanto, não quer manifestar opinião á respeito do episódio. Aguarda investigação pela policia e o laudo.
Implacável como oposicionista à administração municipal, a vereadora vem articulando a luta da oposição junto a outros colegas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;