sábado, 14 de abril de 2012

Confirmado: Tarifas de água e luz terão aumento


A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e a Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) vão aumentar as tarifas. Os acréscimos dependem da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico do Município de Natal (Arsban). Através de cálculos, as agências regulam as tarifas. E os índices propostos pelas companhias vão servir apenas como referência para análise da área técnica. O cálculo do reajuste tarifário da energia elétrica é feito pela própria Aneel. Conforme previsto nos contratos de concessão das distribuidoras, este cálculo é dividido em duas partes: a Parcela A, que se refere aos custos de compra e transporte de energia e encargos setoriais; e a Parcela B, baseado na variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) e Índice Nacional de Preços Ao Consumidor Amplo (IPCA) nos últimos 12 meses.

O reajuste da energia elétrica será votado pela a Aneel, em uma reunião no dia 17 de abril, e o valor aprovado entrará em rigor 5 dias depois, dia 22 de abril.  No mesmo encontro, também serão definidos os aumentos das tarifas pagas pelas residências e indústrias. Ano passado, o aumento foi de 9,7% para os moradores de residência e 10,27 % para os industriais. O novo aumento da taxa da Caern deverá ser aprovado pela Arsban até o final deste mês. A nova tarifa entra em vigor 60 dias após a aprovação. A companhia solicitou o aumento desde o dia 14 de março e sua intenção é que a tarifa aumente 5,04%.  De acordo com a Caern, através de uma nota, a proposta também é submetida ao Conselho Municipal de Saneamento Básico. Somente após a aprovação pela Agência e pelo Conselho é que a nova tarifa entra em vigor.

Informações do blog Cardoso Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;