segunda-feira, 2 de abril de 2012

Servidores da saúde entram em greve por tempo indeterminado



Os servidores estaduais de saúde estão de braços cruzados por tempo indeterminado. Foi deflagrada, na manhã de hoje, uma greve que deixa os hospitais com apenas 30% do seu efetivo vinculado ao Estado.  A greve inclui o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A paralisação começou com uma movimentação em frente ao Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Agora, os profissionais estão se deslocando para o Hospital Colônia DR. João Machado.
A paralisação foi decidida em assembleia dos servidores do dia 16 de março. Na audiência ocorrida no dia 19 de março não houve avanços nas negociações e última, marcada para o dia 28 de março, foi desmarcada pelo governo. De acordo com o Sindicato dos Servidores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde-RN), na audiência ocorrida no dia 19 de março não houve avanços. O diretor de comunicação do Sindicato, Paulo Martins, explicou que as atividades só serão normalizadas após nova negociação com o governo.

Fonte da imagem: Diário de Natal
A pauta da categoria pede o pagamento de plantões trabalhados entre agosto de 2010 e março de 2011, reajuste de 14,92% (referente a inflação dos últimos dois anos), implantação de uma tabela de incentivo à qualificação, incorporação de gratificações, contratação de pessoal e melhores condições de trabalho para diminuir a sobrecarga dos servidores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;