quarta-feira, 30 de maio de 2012

Barra do Cunhaú/RN: Multidão de desprovidos iniciam ocupação em grande área de terras no Paraíso tropical


Após as primeiras horas da segunda-feira, 28/05, a belíssima Praia de Barra do Cunhaú, localizada na cidade de Canguaretama, a aproximadamente 82 Km  da capital do RN foi surpreendida por uma invasão de  pessoas a um terreno localizado próximo ao "Conjunto olho d`água", conhecido popularmente como "Conjunto Sem Terra".
A equipe do Canguaretama em Chamas, após receber vários chamados advindos dos próprios “recém-posseiros”, foi até o local da invasão, no distrito de Barra do Cunhaú, onde de acordo com relatos da grande massa humana que se somavam ao acampamento improvisado, foi transmitida ao blog a informação de que o terreno invadido teria supostamente sido DOADO por um português de nome Fernando, aproximadamente 70 anos e atualmente residente na praia de Tibau do Sul/RN ao município de Canguaretama/RN com o objetivo de que a população local fosse beneficiada através da construção de uma creche, um ginásio de esportes e uma área de lazer.
Os “sem teto” que invadiram o terreno, nos relataram que é do conhecimento deles que desde a doação do espaço ao município, mais de dois anos já se passaram e a administração pública não havia sequer iniciado as obras projetadas para o local. O Canguaretama em Chamas, ainda não conseguiu contato com representantes da prefeitura para saber a versão oficial do município.
O assentamento já concentra uma multidão de aproximadamente mais de 1000 pessoas, espalhadas em cabanas improvisadas, sem água potável e com a ausência de energia elétrica. É grande o numéro de crianças de colo e idosos, o que pode gerar a rápida necessidade de assistência médica e social por parte dos órgãos competentes. Os "recém-assentados" ainda reclamam um posicionamento do prefeito ou de seus subordinados no local, para que se tentem resolver a situação dos ocupantes em relação a propriedade.


O ÍNICIO DA INVASÃO:

De acordo com relatos dos ocupantes, o doador da área, o português Sr. Fernando, ao visitar o local comentou para uma moradora residente nas redondezas sua insatisfação em não ver qualquer construção na área cedida por ele ao município e que já se havia passado muito tempo desde a doação. Ao ouvir esta declaração, a mulher que residia em casa alugada, deu início a invasão do terreno, espalhando-se a partir daí a notícia com espantosa rapidez. Ao efetivarem a ocupação total do terreno, outras famílias que chegavam ao local  passaram a invadir também as áreas vizinhas que fazem fronteiras ao terreno doado pelo português e que também pertencem ao mesmo.
Ainda continua a chegar ao local dezenas de pessoas em esperança de conseguir um lote do terreno. Até à tarde do dia 29/05, aproximadamente mais de 300 famílias já estavam no assentamento em posse de lotes  que variam em média de 10x15m². Foi informado também que pessoas de outras cidades, dentre as quais Vila Flor e Montanhas tentaram conseguir um espaço, sendo negado pelos próprios invasores sob alegação  de que receberiam prioridade na distribuição dos lotes, pessoas que não tem residências próprias e moram de aluguel, casa de parentes ou em abrigos e que teriam que pertencer à comunidade de Barra do Cunhaú.


No momento da reportagem foi possível ver uma grande multidão de ocupantes “sem teto” distribuídos entre crianças de colo, idosos, jovens e adultos, todos alegando não terem moradias próprias e não possuírem poder aquisitivo para compra de um terreno, já que os preços praticados no mercado imobiliário de Barra do Cunhaú são alarmantes devido ao seu potencial turístico, fator este  que motivou a população a invadir imediatamente o terreno, demarcando assim cada um o seu pedaço de terra.


Sobre a invasão, as informações preliminares do Blog S.O.S Canguaretama  traziam o seguinte teor:  ... primeiro surgiu o boato de que a prefeitura estava doando terrenos para a população, isso causou um grande alvoroço e  dezenas de pessoas se deslocaram para o local ..., cada um que ocupasse o melhor pedaço de chão, por volta das oito horas chega uma equipe da prefeitura e informa que o terreno esta destinado a construção de uma creche e um ginásio esportivo, não convenceram ninguém pois logo em seguida chegou o verdadeiro proprietário do terreno que esclareceu tudo, disse que havia doado o terreno a prefeitura a mais de dois anos com a promessa de que lá realmente fosse feita a tal creche e o ginásio, se disse surpreso ao ver que tudo continuava do mesmo jeito e que também o terreno ainda continuava em seu nome, o que achou estranho pois como tinha doado a tanto tempo já era para ser patrimônio público e que não iria interferir na invasão. Pessoas que moram vizinhos ao terreno nunca souberam que o mesmo pertencia a prefeitura muito menos que existia planos de alguma obra por lá. O tumulto foi geral e até agora nada está resolvido, o pessoal da prefeitura garante que vão construir a tal creche e o ginásio. ..., a invasão continua.-Blog S.O.S. Canguaretama

Confira mais imagens:







6 comentários:

  1. O Povo aguarda uma respota sua Prefeito

    ResponderExcluir
  2. vamos apoiar esse multirao para esse pobres querreros

    ResponderExcluir
  3. desprovidos? nem todos que ocuparam as terras alheias,enquanto tem alguns que realmente precisa de um pedacinho de chão pra construir uma moradinha,tem muitos aí nesse meio que são um bando de aproveitadores, querendo se aproveitar da oportunidade para crescer o seu patrímonio,tem gente aí nesse meio que tem várias casas alugada e outras para alugar,isso é um absurdo,isso é de indignar qualquer cidadão

    ResponderExcluir
  4. só estão lutando por uma moradia,apoiem esse pobres que não tem onde morar.

    ResponderExcluir
  5. muita gente sem moradia tem que ser a sim

    ResponderExcluir
  6. Não se enganem com tudo o que o povo fala, nesse assentamento a muitos nomes de grandeza na comunidade que possuem muitas casas alugadas que se apossou de três a seis terrenos, pessoas que deveriam cobrar uma atitude do prefeito para o auxílio de quem precisa, pois muitas delas tem uma cultura mais elevada que as das pessoas que REALMENTE necessitam de uma casa para morar, essas pessoas que ao invés de correr atrás para a melhoria do munícipio como um todo,num ato de egoísmo tenta melhorar somente sua própria vida.
    "Quem muito quer, ACABA SEM NADA!"

    ResponderExcluir

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;