sexta-feira, 18 de maio de 2012

Pipa/RN: Polícia Civil desvenda crime que vitimou jovem pernambucano


Para ver os acusados sem as tarjas clique AQUI!

O DPC Robson Coelho, atual delegado de Pipa, com o auxílio de equipes compostas pelo pessoal da DECAP/NATAL, bem como de policiais militares do pelotão do local, conseguiram na tarde desta quinta-feira, dia 17, desvendar mais um crime ocorrido naquela praia.
A vítima, Felipe Miguel, um pernambuco de 17 anos de idade e morador de distrito de Umari / Tibal do Sul, estava desaparecido havia pelo menos 5 meses, e era estudante e garçom na referida praia. A época, Felipe saiu de casa e não mais voltou para sua residência o que acabou deixando seus familiares sem saber o que realmente teria acontecido.
De acordo com as investigações feitas pela DPC, a vítima fora assassinada por Isac Heleno da Cruz, vulgo " RIVOTRIL " tendo tido, inclusive, o seu corpo enterrado por Marcílio Alves da Silva, vulgo " MATÃO " , dentro de uma mata próxima. Ainda de acordo com a polícia, a prisão de Isac Heleno acontecera no último dia 01/05, em Natal, enquanto que Marcilio foi preso na manhã desta quarta (17/05), oportunidade em que acabou apontando e levando a polícia até o local onde o corpo da vítima estava enterrado.
Motivo do crime:
De acordo com " Matão " Felipe teria sido morto pelo fato de ter pronunciado o nome de Isac por três vezes, fato que o teria irritado já que só gosta de chamado pelo apelido de RIVOTRIL. Ao final das investigações e prisões dos envolvidos, o delegado Robson Coelho agradeceu o trabalho realizado e todo o envolvimento dos policiais da DECAP / Natal  e também dos PMs  envolvidos na operação.

Fonte: Dedé amilo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;