quinta-feira, 3 de maio de 2012

RN Vermelho: Estado potiguar registra 60 homicídios em 15 dias


O Rio Grande do Norte mergulhou em um mar de sangue nos últimos 15 dias do mês de abril. Na segunda quinzena do mês passado, o Instituto Técnico-científico de Polícia (Itep) registrou 60 assassinatos. O número forma uma média assustadora de violência no Estado: são quase 04 homicídios por dia; 30 por semana. Os casos recentes chamam atenção pelas características de execução em que foram realizados. Crueldade se tornou a marca da ação de bandidos que ignoram a força das polícias e fazem do assassinato, uma profissão. Para a população, a sensação é de que o Estado permanece armado com balas de festim para um "combate fictício" contras os criminosos.
Os dados foram levantados pela reportagem junto ao Itep, através de informações repassadas pelo website da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do RN. Os números mostram que 80 assassinatos foram registrados durante o mês de abril. Destes, 60 ocorreram na segunda quinzena do mês. Nas duas últimas semanas de abril, a polícia registrou dois casos de triplo homicídio e outros assassinatos que chamaram a atenção da sociedade. A quantidade em 2012 se aproxima dos 260 casos.
O levantamento das informações das vítimas permanecem formando um padrão: homens, entre 15 e 25 anos, vítimas de disparos de arma de fogo; esse é o perfil dos que foram mortos violentamente. As estatísticas mostraram que, do total, quatro vítimas foram mulheres e em nove casos foram utilizadas armas brancas. A análise dos dados e a comparação com informações das ocorrências repassados pela polícia permite inferir que os homicídios permanecem diretamente ligados ao tráfico de drogas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;