terça-feira, 30 de outubro de 2012

PRF confirma a maior apreensão de maconha da história do RN


(FOTO: CEDIDA/PRF)

A Polícia Rodoviária Federal do Rio Grande do Norte realizou, na madrugada desta terça-feira (30), a maior apreensão de drogas da história no estado. Segundo a assessoria de imprensa da PRF, foram encontradas aproximadamente uma tonelada e 200 quilos de maconha e crack. O entorpecente estava sendo transportado em uma Toyota Hilux com placas de Pernambuco. O veículo foi perseguido a partir do posto policial da BR-101, em São José de Mipibu, na Grande Natal. A caminhonete tombou, mas o traficante conseguiu fugir.
De acordo com o inspetor Everaldo Morais, da assessoria de comunicação da PRF, a caminhonete (PEY-4996/PE), tombou na pista ao tentar fugir da fiscalização. O condutor do veículo conseguiu escapar. Dentro do automóvel os agentes encontraram 1.150 tabletes de maconha, com estimativa de peso de um quilo cada. “Também achamos outros 15 tabletes de crack, que também devem pesar um quilo cada um”, acrescentou.
Ao G1, o inspetor contou que o motorista da Hilux parou o veículo quando se aproximava do posto de fiscalização. “Quando ele se deparou com a barreira, engatou a marcha ré e tentou fugir em sentido contrário. Então iniciamos uma perseguição ao suspeito”, relatou Morais. “No km 112 o condutor da caminhonete perdeu o controle do veículo e tombou na pista. O suspeito fugiu por um terreno próximo à BR e não foi mais visto”, complementou.
A droga apreendida foi levada à sede da Polícia Federal, onde será pesada. O carro, que também foi recolhido, não apresenta queixa de roubo e as placas não são clonadas. A polícia segue na investigação para identificar origem e destino da droga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todo o conteúdo postado em forma de comentário é de total responsabilidade do autor do mesmo!
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;